Só é dono quem registra

*Morgana Borssuk

Embora pareçam com significados semelhantes, posse e propriedade têm usos muito distintos quando o assunto é identificar o dono do imóvel. Ser o proprietário real implica em preencher uma série de requisitos legais, a partir do que determina e orienta o Novo Código Civil (NCC), por exemplo. Sem observar o que a lei preconiza, quem pode até se considerar o titular de um terreno ou uma casa terá de rever conceitos pessoais para não se deparar com surpresas no futuro.

Segundo o artigo 1.228 do NCC, o proprietário é aquele que usa, usufrui e dispõe do bem. Ele tem o direito de acesso para reavê-lo de quem se apossou de maneira injusta. Portanto, a própria lei – em caso de conflito entre proprietário e quem se encontra na posse do imóvel – pode servir de parâmetro objetivo para resolver a disputa. 

A situação de posse também é esclarecida na mesma legislação. O artigo 1.196 indica que o possuidor tem de fato o exercício, seja pleno ou não, de alguns poderes perante o imóvel. Ou seja, enquanto usa o bem de forma legal, ele exerce o direito de assumir o papel de conduta de dono, praticando poderes sob a propriedade.

Com o esclarecimento feito entre as duas situações, para ser o proprietário do imóvel perante a lei também é necessário recorrer ao Cartório de Registro de Imóveis. Nesta serventia extrajudicial, o real dono do bem fará o documento de registro do imóvel, que o reconhece oficialmente como atual proprietário.

Só escritura não é suficiente

Mas para chegar ao registro, há um caminho a ser respeitado que começa com a escritura. Ela expressa a vontade de duas pessoas realizar o negócio com um imóvel. É uma espécie de pontapé legalizado para realizar a transação.

O comprador que detém a escritura – que deve ser celebrada em um Tabelionato de Notas – tem apenas, na prática, o reconhecimento de posse do imóvel, não sendo considerado ainda o dono do bem, o que só se acontece com a realização do registro.

De posse da escritura, ele se dirige ao Cartório de Registro de Imóveis para incluir a informação da manifestação de vontade compra e venda na matrícula, um cadastro que reúne dados importantes sobre a localização e descrição do bem, o conteúdo da escritura, a transferência de titularidade dele, dívidas vinculadas ao imóvel e benfeitorias.

Só depois desse trâmite é que o registro do imóvel é atualizado, com o nome do dono que o adquiriu. Já em caso de alienação fiduciária, o título de propriedade permanece em nome do vendedor enquanto o comprador não quitar a dívida do imóvel.

Escrituração pública e cessão de direitos

Existem ainda outros tipos de eventos que obrigam a uma série de ritos legais em cartório, visando a segurança da transação com um imóvel. É o caso em que a escrituração pública – aquele documento que mostra a intenção entre as duas partes de celebrar o acordo de compra e venda da propriedade – precisa ser realizada.

O artigo 108 do Código Civil determina que se o valor do imóvel for 30 vezes maior que o salário-mínimo vigente, a escritura precisa ser sacramentada para legalizar a transferência da propriedade do bem.

Já a cessão de direitos ocorre quando o vendedor do imóvel autoriza passar os direitos da propriedade ao comprador antes que a matrícula seja atualizada no nome do novo dono. Essa forma de trabalhar a compra e venda do imóvel é usada em casos em que o imóvel está na etapa de construção.

Contrato particular de compra e venda

Uma situação bastante comum no comércio de um imóvel é a celebração do contrato particular de compra e venda. Mas afinal, esse documento assegura alguma legalidade das intenções manifestadas pelas partes?

Para início de conversa, um instrumento particular não cumpre o mesmo papel, por exemplo, da escritura, que legaliza o processo de compra e venda do bem, abrindo caminho para que se faça a atualização da matrícula no cartório e a transferência do registro do imóvel em nome do novo proprietário.

Feita a ressalva, o contrato particular pode ser feito por qualquer pessoa capaz, sem intermediação do poder público. O documento deve ser assinado por comprador e vendedor, incluindo também a ratificação de pelo menos duas testemunhas.

Embora sem a cobertura jurídica proporcionada pela escritura, o documento particular de compra e venda tem sua serventia, já que pode servir de referência para dar início à transação imobiliária. A recomendação é que o documento apresente o maior número possível de detalhes a respeito da comercialização do bem.

Como se percebe, existem muitas diferenças entre esses termos. A falta de conhecimento jurídico sobre as regras que envolvem a compra e venda de um bem, o direito de uso e posse são amplas e podem gerar problemas futuros. Por isso, lembre-se: só é dono quem registra. E em caso de dúvida, a melhor solução é buscar a ajuda de um especialista.

*Morgana Borssuk é advogada, administradora e pós-graduada em Direito Empresarial pelo ISAE/FGV. Sócia proprietária do escritório www.borssukemarcos.com.br é especialista em direito imobiliário, gestão patrimonial imobiliária e empresarial.

Relacionamento com a imprensa | Morgana Borssuk |  www.borssukemarcos.com.br

Mem Comunicação 

João Alécio Mem – (41) 9 9124-9748 joaoalecio@memcomunicacao.com.br

Marlise Groth Mem – (41) 9 9908-0511 marlise@memcomunicacao.com.br

Jornalismo / Assessoria de Imprensa / Consultoria em Comunicação e Eventos / Produção e Revisão de Conteúdo

Veja Também

teste

Lorem Ipsum is simply dummy text of the printing and typesetting industry. Lorem Ipsum has been the industry’s standard dummy text ever since the 1500s, when

SB Crédito

A SB Crédito tem 22 anos de atuação em operações financeiras multissetoriais, já ajudou mais de 5 mil microempreendedores, pequenas, médias e grandes empresas de todo Brasil.

A companhia deve fechar 2021 com 500 mil títulos antecipados, movimentações de R$ 3,5 bilhões e tem Rating AA+ pela agência de classificação de risco Standard & Poor’s, o que significa grau elevado de bom pagador.

Entre os serviços oferecidos pela SB Crédito estão a antecipação de recebíveis, crédito pessoal, para capital de giro, compra de matéria-prima, serviços de cobrança e venture capital.

D’Fuhrmann Chocolates

A D’Fuhrmann Chocolates atua há 18 anos, tem fábrica e duas lojas em Curitiba (Mercado Municipal e Av. Com. Franco, 5050) e um dos melhores chocolates artesanais da capital paranaense.

Com origens tradicionais alemãs, o negócio é comandado por Selma Maria Fuhrmann Dembiski e Ana Cecília Dembiski, que viajam o mundo em busca das novidades, texturas e sabores únicos. Mais do que chocolates, os clientes encontram sentimentos nos produtos.

A empresa é uma das maiores fornecedoras de linha base para confeiteiros em Curitiba.

Conselho Regional de Biomedicina do Paraná

O Conselho Regional de Biomedicina 6ª Região (CRBM6) representa cerca de 4500 profissionais em todo Paraná. A entidade registra, orienta, fiscaliza e zela pelo ofício.

Os biomédicos atuam em mais de 30 áreas da saúde incluindo acupuntura, análises clínicas, estética, imunologia, microbiologia de alimentos, saúde pública, toxicologia e virologia.

O CRBM6 tem sede em Curitiba e delegacias regionais em Araucária, Campo Mourão, Cascavel, Foz do Iguaçu, Guarapuava, Londrina, Maringá, Pato Branco, Ponta Grossa e União da Vitória.

Arno Bach

Arno Bach é especialista em Direito do Trabalho e Empresarial, professor de pós-graduação, presidente da equipe de empresários BNI Concept Curitiba e atua em ONGs de proteção.Autor de artigos que auxiliaram na mudança de recentes entendimentos jurisprudenciais, teve a experiência em ser diretor jurídico em uma empresa pública de transportes. Com o apoio de outros órgãos, fez com que os valores das passagens para os munícipes reduzissem em mais de 60%.

A Mem Comunicação utiliza cookies e outras tecnologias para melhorar a sua experiência. Ao continuar navegando, você concorda com a utilização dessas tecnologias, como também, concorda com os termos da nossa Política de Privacidade.

Unicuritiba

Com mais de 70 opções de cursos de graduação e pós-graduação – incluindo mestrado e doutorado em Direito – além de dois campi à disposição dos universitários, professores e parceiros, o UniCuritiba proporciona um ensino que segue focado em entregar grandes talentos para o Brasil.

Com o propósito de ‘Transformar o Brasil pela Educação’, a Ânima Educação é a 4ª maior organização educacional privada do País em número de estudantes e a 3ª em receita líquida, com um portfólio de marcas valiosas e um dos principais players de educação continuada na área médica. A companhia é formada por uma comunidade de aprendizagem com cerca de 350 mil pessoas, composta por mais de 330 mil estudantes e 18 mil educadores, distribuídos em 16 instituições de ensino superior.

Com o propósito de ‘Transformar o Brasil pela Educação’, a Ânima Educação é o maior ecossistema de educação de qualidade do país, com um portfólio de marcas valiosas e um dos principais players de educação continuada na área médica. A companhia é formada por uma comunidade de aprendizagem com cerca de 350 mil pessoas, composta por mais de 330 mil estudantes e 18 mil educadores, distribuídos em 18 instituições de ensino superior.

Está presente em 12 estados, nas regiões Sudeste, Sul, Nordeste e Centro-Oeste, e em quase 550 polos de ensino digital por todo o Brasil. Integradas também ao Ecossistema Ânima estão oito marcas especialistas em suas áreas de atuação, como HSM, HSM University, EBRADI (Escola Brasileira de Direito), Le Cordon Bleu (SP), SingularityU Brazil, Inspirali e Learning Village, primeiro hub de inovação e educação da América Latina, além do Instituto Ânima.

Em 2021, a Ânima foi destaque no Guia ESG da revista Exame como uma das vencedoras na categoria Educação. Em 2020, foi reconhecida como uma das cinco Empresas mais Inovadoras do País, na categoria Serviço, de acordo com o Anuário de Inovação do Valor Econômico; e conquistou, em 2019, o prêmio Mulheres na Liderança, na categoria Educação, iniciativa da ONG Women in Leadership in Latin America (WILL). Desde 2013, a companhia está na Bolsa de Valores, no segmento de Novo Mercado, considerado o de mais elevado grau de governança corporativa.

BorssukeMarcos

Aqui você encontra serviços jurídicos completos e de excelência, soluções personalizadas e estudos focados para viabilizar a proteção e planejamento sucessório, patrimonial e societário.

Morgana Borssuk é advogada, administradora e pós-graduada em Direito Empresarial pelo ISAE/FGV. É especialista em direito imobiliário, gestão patrimonial imobiliária e empresarial.

Amanda Marcos é advogada, pós-graduada em Direito Empresarial pelo ISAE/FGV. É especialista em processos judiciais envolvendo matéria contratual e tributária, questões trabalhistas e contratos.

Luciane Botto

É reconhecida como a profissional que vai além da técnica, que consegue identificar variáveis nem sempre “óbvias” para os gestores, mas que interferem diretamente nos resultados de uma organização.

Ninguém fala de liderança no Brasil como ela. Para Luciane Botto, os melhores líderes são aqueles que buscam se tornar melhores seres humanos, que cuidam das pessoas à sua volta, pois o lucro nunca vem antes das pessoas.

É mestre em Organizações e Complexidade, tem formações dentro e fora do Brasil, é coautora do livro “Liderança Integral – A Evolução do Ser Humano e das Organizações” (ed. Vozes, 344 págs.).

Editora Flor de Lis

As obras vêm recheadas de ensinamentos, apresentam leitura leve e de fácil compreensão até mesmo aos leigos no assunto. Os livros são comercializados em diferentes pontos de vendas, marketplaces, nas redes Livrarias Curitiba e Disal, no site www.editoraflordelis.com.br e na Casa Espiritualista em Busca do Conhecimento

Bonblend

A marca pretende desmistificar os tipos especiais de grãos e inseri-los na cultura diária do consumidor, facilitando acesso a produtos de maior qualidade e com preço justo.

Todos os cafés Bonblend – Tradicional, Clássico, Superior, Premium – são feitos com grãos puros, selecionados, 100% Arábica e que preservam o sabor e as nuances dos locais onde foram produzidos.

Ative Soluções Empresariais

A empresa disponibiliza soluções completas em Certificado Digital padrão ICP-Brasil, que funciona como uma identidade eletrônica de pessoas ou empresas, uma carteira de identificação virtual.

O Certificado Digital é a alternativa mais sustentável, moderna e segura em relação aos documentos em papel. Ele pode ser utilizado para assinar digitalmente os mais variados tipos de contratos e ter acesso a serviços públicos por portais, como o da Receita Federal ou do INSS.

AASC

Advogado, filósofo e consultor com 20 anos de experiência; especialista em direito internacional, membro da Comissão de Relações Internacionais da OAB-SP (2008/2010), membro da Câmara Britânica de Comércio e Indústria (2008/2019).

AACEPR

A entidade surgiu para aprimorar as atividades de administração e gestão condominial, prestar serviços que desenvolvem e profissionalizam o segmento, trazendo mais segurança e tranquilidade a quem administra e a quem reside em condomínios.

Entre os assuntos que mais geram debates na AACEP, destaque para os direitos e deveres de moradores e síndicos, obrigações legais, regras de boa convivência, assuntos trabalhistas e tributários, mudanças nas leis, economia de água, uso de energias renováveis, coleta e separação do lixo, contratação de prestadores de serviços, transparência na gestão, regulamentação, tendências, negociações e busca de reduções de custos, além da profissionalização do mercado.